Sex, 02 de dezembro de 2016, 12:25

Relação entre monitores de um museu de ciências com a transposição do conhecimento científico
Elisângela de Andrade Santos, Veleida Anahí da Silva e Divanizia do Nascimento Souza (Orgs.)

Esta obra traz o relato de uma pesquisa que teve como objetivo analisar como se processaram possíveis relações entre os monitores da Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCETECA) e a transposição dos conhecimentos científicos neste espaço de educação informal. Como referencial teórico foram utilizados estudos desenvolvidos nos espaços de ciências do Brasil, como também conceitos relacionados ao saber, transposição do conhecimento, ciência e tecnologia. A pesquisa aqui apresentada é parte dos estudos realizados para uma dissertação de mestrado desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Federal de Sergipe.

No Brasil, assim como em outros países, existem várias casas ou museus de ciência, e como ressaltam Ferreira et al. (2008), a maioria dos museus de ciências brasileiros tem monitores universitários para o atendimento ao público, sendo a capacitação deles realizada pela equipe técnica de cada museu, geralmente focalizando a dimensão técnica da monitoria e priorizando os conceitos científicos que devem ser abordados.

Para Gaspar (1993), os monitores devem funcionar como mediadores entre a exposição e o visitante. Eles devem ter em mente que esse visitante cria a sua definição em relação a uma demonstração experimental em dois momentos: ao vê-la e, em seguida, ao ouvir a explicação da demonstração. Já para Soares (2003), mais importante do que ensinar algo ou transmitir uma informação no museu de ciência, é sensibilizar o participante para a ciência; até porque esse participante já tem concepções prévias a respeito de vários assuntos e algumas representações sociais impedem que essas imagens e concepções se modifiquem rapidamente. Esses argumentos contribuíram para o interesse em identificar e analisar a relação dos monitores com a transposição do conhecimento científico para os visitantes.

Como Sergipe possui um centro de ciências dessa natureza, decidimos que os sujeitos da pesquisa seriam os monitores da CCTECA. Esperamos que esta obra auxilie na divulgação da CCTECA, na valorização dos monitores dos museus de ciência e na valorização desses espaços de conhecimento e indivíduos.

São Cristóvão : Editora UFS, 2015. 104p.

ISBN 978-85-7822-500-1

Faça o download aqui.


Livro disponível para download
Livro disponível para download
Atualizado em: Sex, 02 de dezembro de 2016, 13:24
Notícias UFS
Avaliação
UFS é destaque no Enade 2016
Enfermagem e Nutrição (ambos de Lagarto) e Fisioterapia (Aracaju) obtiveram nota máxima; veja nota de outros cursos